Neste post iremos esclarecer de forma bastante prática como se faz para investir no mercado de ações e assim tirar todas suas dúvidas rapidamente. Então vamos começar pelo início:

  • O que é a bolsa de valores?
    A bolsa de valores é um mercado organizado onde se negocia títulos mobiliários, dentre eles os mais conhecidos: ações e fundos imobiliários.
  • O que é uma ação?
    Uma ação é um título representativo de uma parcela da empresa. Ao abrir capital na bolsa, o capital da empresa é fracionada em ações para que a mesma seja negociada no mercado.
    Imagine uma empresa chamada XYZ e que vale 10 milhões de reais, ela abre capital com este valor divido em 10.000 ações. Podemos dizer que cada ação desta empresa equivale à R$ 1.000,00 (10.000 x R$ 1.000,00 = R$ 10.000.000,00)
  • Porque uma empresa abre capital na bolsa?
    Para capitar recursos financeiros para seus investimentos, uma empresa pode optar por 2 maneiras.

    1. Fazer empréstimos

    É comum uma empresa emprestar dinheiro para financiar seus negócios. Por este motivo esta é a opção mais comum conhecida no mundo dos empreendedores.

    2. Vender parte da empresa

    Já esta segunda opção é muito conhecida no mercado de ações, onde a empresa abre capital na bolsa e disponibiliza a venda de suas ações (parcela da empresa) ao mercado. Em linhas gerais, os controladores vendem parte de sua empresa parte através do mercado de ações para captar recursos. Consequentemente ele não possuirá uma dívida, mas terá que dividir parte de seu patrimônio aos demais acionistas do mercado.

    3 . Liquidez
    Ao abrir capital, as ações ficam disponíveis para que qualquer pessoa física ou jurídica possa comprar. É muito mais fácil você vender parte de sua empresa através deste mecanismo do que vender no mercado comum.
  • Como participo do mercado?
    Ao comprar 1.000 ações da empresa XYZ (totalizando R$ 1.000.000,00), basicamente podemos dizer que você comprou 10% da empresa. Pois as 1.000 ações representam 10% das 10.000 ações que constituem o capital da companhia. Seu capital aplicado será utilizado pela empresa para dar andamento em seus projetos, e ao mesmo tempo (ou em troca disto) você vira sócio da mesma em 10%. É assim que você participa do mercado de ações. Legal não?
  • Porque investir na bolsa?
    Como vimos anteriormente, ao comprar ações de uma empresa você vira sócio da mesma em uma determinada parcela, desta forma nada mais justo e óbvio você participar dos lucros desta empresa. Se você possuí ações de uma empresa bem administrada e que entrega bons lucros, as ações irão subir e você irá ganhar junto com esta alta. O mesmo acontece no contrário, quando uma empresa é ruim e reporta muitos prejuízos, suas ações cairão e consequentemente você perderá dinheiro.
  • Como investir na bolsa?
    Para investir você deve seguir os seguintes passos:
    1. Abrir conta em uma corretora
    2. Transferir dinheiro para corretora
    3. Comprar ações
  • O que é uma corretora de valores?
    A corretora de valores  é um agente financeiro autorizado pelo CVM ao intermediar a compra de ativos financeiros na bolsa de valores.
  • Porque preciso de uma corretora?
    Infelizmente a pessoa física não é autorizada a negociar diretamente no mercado de ações. É necessário que exista uma entidade autorizada pela BM&F Bovespa, no caso as corretoras. Imagine o papel da corretora como um intermediador entre você e a empresa ao qual deseja comprar as ações, ela faz uma espécie de uma ponte entre você e a empresa, assim como funciona com os corretores de imóveis. E para fazer este trabalho elas lhe cobram o que chamamos de taxa de corretagem.
  • Quais são as taxas envolvidas?
    Basicamente as taxas envolvidas são corretagem e custódia. A taxa de corretagem é uma taxa cobrada pela corretora por realizar o intermédio da operação de compra e venda de ações (média R$ 10,00 por operação), ou seja, a cada vez que você envia uma ordem de compra ou venda de ações você pagará R$ 10,00 de taxa por ordem. Já a taxa de custódia é a taxa que a corretora cobra para manter seu cadastro na corretora (média de R$ 10,00 / mês), parecida com a taxa de manutenção de conta cobrada pelos bancos.
    Vamos a um exemplo prático: Imagine que você comprou 100 ações à R$ 15,00 da Petrobras (Totalizando um investimento de R$ 1.500,00). Nesta momento você gastou R$ 10,00 para comprar 1.000 ações. Um mês depois você vendeu essas mesmas 1.000 ações ao preço de R$ 20,00 (Totalizando R$ 2.000,00). Neste momento você gastou mais R$ 10,00 para efetuar a venda. Em resumo, você obteve um lucro liquido de R$ 470,00 pois devemos considerar os custo de R$ 30,00 (R$ 20,00 para comprar e vender e mais R$ 10,00 de custódia).
  • Qual corretora escolher?
    Basicamente o serviço prestados pelas corretoras são os mesmo para todas, a diferença se da no preço. A média para a taxa de corretagem cobrada varia de R$ 2,00 à R$ 20,00. As que cobram a taxa de corretagem um pouco mais alta, as vezes possuem uma ferramenta de análise mais elabora e um melhor suporte. Mas normalmente o pequeno investidor utiliza a corretora somente para fazer o intermédio da compra e venda, desta forma sempre procuram as que possuem as melhores taxa de corretagem. Veja abaixo uma lista de algumas corretoras mais conhecidas e que possuem as melhores taxas (considerando a data em que escrevo este post):
     
    Mirae Asset
    (Taxa R$ 2,90)
    Mycap (Taxa R$ 5,00)
    Rico (Taxa 10,00)
    Gradual
    XP Investimentos
  • Se uma corretora quebrar, o que acontece?
    É raro mas pode acontecer, hoje em dia as corretoras estão muito bem estruturadas. Caso isso venha a acontecer com sua corretora você pode se deparar com as seguintes situações:

    1. Ações compradas:
    Nada aconteceria pois elas ficam custodiadas na câmara de Ações (antiga CBLC), que é administrada pela BM&F Bovespa. Como vimos anteriormente, a corretora faz apenas a intermediação da compra e venda. Sendo assim, suas ações se manteriam intactas.

    2. Saldo em conta:
    Agora se você possuí dinheiro em conta, você pode ter problemas. Visto que a corretora pode acabar utilizando para outros fins. Para proteger os investidores a BM&F Bovespa desenvolveu o Bovespa Supervisão de Mercados (BSM) e possuí uma garantia de até 120 mil reais. O problema é que você não sabe a forma e nem quanto receberá este “seguro”, e esse processo poderá lhe dar muita dor de cabeça.
  • Qual o valor mínimo para investir na bolsa?
    Não existe um valor mínimo para investir, os preços das ações de empresas variam de centavos até milhares de reais. Porém como mencionado anteriormente, você possuí alguns custo para investir. Assim, é recomendado que você acumule uma quantia mínima ao ponto de que sua rentabilidade não seja menor do que as taxas gastas com corretagem e custódia, tudo isso para que o “molho não saia mais caro que o peixe”.
  • Como escolher boas ações na bolsa?
    Aqui mesmo na PenseRico você irá encontrar a melhor ferramenta para análise de empresas do mercado, ou seja, uma ferramenta completa para que você possa escolher as melhores empresas da bolsa. Estamos falando da Plataforma PenseRico ©. Mas antes do começar, se você ainda não está familiarizado com o mercado, sugiro seguir os seguintes passos:

    1.
     Como escolher boas empresas com base em fundamentos – Clique Aqui
    2. Montar uma carteira de ações – Cliquei Aqui
    3. Escolhendo boas empresas – Clique Aqui
  • Vale à pena investir na bolsa?
    Para concluir quero deixar meu voto de sim! Vale à pena investir na bolsa. Como citado anteriormente, a grande vantagem de se investir em ações é o fato de que você acaba virando sócio das empresas e ganhando com sua performance, ao contrário da renda fixa onde você ganha através dos juros recebidos por emprestar seu dinheiro ao banco. Em linhas gerais, é muito vantajoso virar sócio de um banco e ganhar com os lucros que ele possuí do que emprestar dinheiro ao mesmo para que ele lucre com seu dinheiro emprestado e te devolva uma pequena parcela em forma de juros. Pense nisso!
    Abraços e bons investimentos!

Comments

comments